Borek

by O Comilão

O Borek é o pai da Banitsa. Enquanto que a Banitsa é jovem e mais viajada e descomprometida com as coisas, o pai dá-se a mais trabalhos e gosta de seguir alguma tradição, como é normal nos adultos.

A origem deste prato tem já milénios e ainda está aqui impecável. Actualmente é sobretudo um prato turco, com uma grande variedade de recheios e formas. Usei o recheio mais comum e usei a forma mais conhecida, porque é muito satisfatório fazer comida em espiral. Não fica a saber melhor nem pior por ser assim, mas dá uma diversão diferente a comer.

  • Começa-se por fazer um estrugido com meia cebola média picada, 2 dentes de alho laminados e talos de salsa;
  • Quando ganhar cor, deitar 1 colher de chá de cominhos e outra de paprika fumada e temperar com sal e pimenta preta;
  • Deitar 1 colher de sopa bem cheia de pasta de tomate, mexer e aumentar o lume para médio alto;
  • Juntar 400g de carne de vaca picada e cozinhar até não ter nada cru. Reservar;
  • Ligar o forno nos 200ºC;
  • Ralar 250g de queijo feta ou qualquer outro que derreta bem;
  • Derreter 2 colheres de sopa de manteiga sem sal, porque o feta já é bastante salgado;
  • Pincelar uma forma circular (20cm mais ou menos) com manteiga. Pegar nas folhas de massa filo e fazer o seguinte processo até ter a espiral completa (na minha forma, 6 folhas foi suficiente): pincelar as folhas com manteiga -> numa das faces maiores espalhar uma tira da carne picada -> polvilhar com salsa picada e com o queijo -> enrolar bem apertado até ter uma “salsicha” -> moldar em espiral na forma;
  • Pincelar com ovo batido, polvilhar com sementes de sésamo e levar ao forno durante uns 15 minutos ou até o borek estar dourado;

Ao contrário da Banitsa, que tem um resultado surpreendente quando sai do forno, o Borek é exactamente aquilo que esperamos: uma tarte crocante, com um recheio tenro e saboroso, com o toque salgado e fresco do feta. Preciso dizer mais alguma coisa?

Também podes gostar

Leave a Comment