Crème Brûlée

by O Comilão

“Ei lá! Tantos acentos tem o nome desta sobremesa” – exclama o leitor menos conhecedor desta iguaria francesa. Pois é meus amigos, há coisas na vida em que é preciso mostrar que as coisas são especiais através da grafia.

O crème brûlée é, segundo consta, a versão original do leite-creme ou da crema-catalana. É daquelas sobremesas sobre as quais a minha mãe diria “pagavas um balúrdio por isto num restaurante”, e não é mentira. Fui buscar esta receita ao Alton Brown, uma das minhas pessoas preferidas do mundo da culinária e que conheci no Iron Chef America. Ou seja, aprendi a fazer esta receita francesa com um americano…acham que os franceses desejarão a minha morte?

  • Começa-se por colocar, numa pequena caçarola, 500ml de natas;
  • Corta-se uma vagem de baunilha a meio e guarda-se. A outra metade, corta-se longitudinalmente e retiram-se as sementes de cada uma dessas tiras. Juntam-se as sementes e as tiras às natas;
  • Aquece-se as natas em lume médio, mexendo de vez em quando, até se ver o primeiro borbulhar e retira-se do lume. Não queremos fervê-las! Nem pensar numa situação dessas, ai meu deus! Reserva-se no tacho, tapado, durante 15 minutos;
  • Numa taça, batem-se 3 gemas com 3 colheres de sopa cheias de açúcar, até ficar um pouco mais pálido;
  • Verte-se um pouco das natas para os ovos e mexe-se, para os habituar à temperatura. Com um coador, de preferência, deita-se o resto das natas, mexendo sempre;
  • Pré-aquece-se o forno a 160ºC. Num tabuleiro, forrado com um pano, colocam-se ramequins ou quaiquer taças que se queira usar, desde que não sejam muito altas. Enche-se os ramequins, põe-se na prateleira do forno e enche-se o tabuleiro com água quente até ficar a meio das tacinhas;
  • Deixa-se no forno durante 40 minutos;
  • Retira-se e, quando estiver morno, vai ao frigorífico pelo menos 2 horas;
  • Para servir, polvilha-se com açúcar e queima-se com maçarico.
Conselhos de Comilão
  1. Confiem no poder da baunilha! É um ingrediente caro mas dá para duas vezes ou, se guardarem com açúcar, ficam com um verdadeiro açúcar baunilhado e dá para mais vezes ainda.
  2. Usem natas em que confiem. As minhas preferidas são as da Mimosa. Não usem nada de natas light nem essas brincadeiras de mau gosto, não vai resultar.
  3. A camada de açúcar, antes de queimar, convém ser fina, senão ficam ali com um disco de caramelo tão espesso que dá para gravar os Mega Hits 2020.

Todos já viram o prazer que as pessoas mostram ao partir o caramelo num crème brûlée em programas como o Masterchef. É um momento solene que está à distância de aquecer natas, juntar a ovos com açúcar e meter no forno em banho-maria. Precisam de investir num maçarico mas, depois de o terem, cada vez que fazem fica mais barato. Comer crème brûlée é, portanto, uma maneira de fazer poupança.

Também podes gostar

0 0 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments