Spaghetti alla puttanesca com atum

by O Comilão

“A comida hoje é massa com atum” está longe de ser a frase mais apetitosa deste mundo. É aquela comida que se faz quando não se tem tempo, ingredientes ou capacidade para alguma melhor. Pouco mais avançado é do que preparar leite com cereais.

Se são uma das pessoas que se encontra, ocasionalmente, na situação do primeiro parágrafo esta receita vai mudar a vossa vida. Se não são, vão passar a querer ser, só para poderem comer este prato mais vezes. E, se vos disser que demora o mesmo tempo a fazer que misturar macaroni com atum enlatado, como podem não experimentar? Digam-me, como?!! Não têm resposta, pois não?…Avancemos para a receita antes que se crie mau ambiente:

  • Enche-se um tacho ou panela com bastante água e sal. A massa quando chegar lá quer ser livre, como se estivesse a nadar no mar; liga-se o lume no máximo;
  • Pica-se finamente 2 dentes de alho, mais de meia malagueta vermelha, 2 pedaços de tomate desidratado e talos de salsa. Pode-se ir buscar ingredientes da spaghetti alla puttanesca original, como alcaparras e azeitonas também;
  • Deita-se esta mistura numa frigideira fria com azeite e liga-se o fogão em lume médio (um 5/6 no vitrocerâmico);
  • Antes de o alho começar a tostar, adicionem 3 filetes de anchova. Deixa-se que desapareçam na mistura, mexendo;
  • Escorre-se boa parte do azeite do atum em filetes enlatado (podem utilizar este azeite para outras receitas);
  • Polvilha-se com canela. Este é um truque que retirei da receita do Jamie Oliver que inspirou esta…e faz toda a diferença. Adiciona-se à frigideira;
  • Deita-se 4 ou 5 colheres de sopa de passata, mexe-se bem e reduz-se o lume para médio-baixo (3/4);
  • Por esta altura, a água para a massa já deve estar a ferver. Deita-se a spaghetti (entre 150 a 200g para duas pessoas) e deixa-se cozer até estar al dente;
  • Com uma tenaz tira-se a spaghetti directamente para a frigideira. Mexe-se ou, melhor ainda, mistura-se abanando a frigideira, para que haja uma ligeira emulsão e o molho fique aveludado e brilhante.
Conselhos de Comilão:
  1. A minha spaghetti preferida (recuso-me a dizer esparguete a não ser que seja feita com espargos) para esta receita é a da Garofalo, por ser feita em molde de bronze, com trigo durum e ter uma espessura ligeiramente mais fina que as outras marcas.
  2. Mexam a massa de vez em quando, para libertar mais amido para a água. Isto ajudará depois na textura aveludada do molho.
  3. Peixe e canela não é a combinação mais habitual. Aqui, no entanto, dá uma profundidade maior ao prato, acrescentando uma subtil sensação de doçura e acrescentando um sabor confortante. Deixem-na fritar uns 30 segundos quando a adicionarem com o atum, para que conviva um pouco com todos os ingredientes e não se saliente demais no grupo.

São 30 minutos, ingredientes que não precisam de descongelar nem de nenhuma preparação especial. Meia-hora para ter uma massa al dente com um molho cheio de complexidade. O único problema é que, depois de provarem, quando virem uma normal massa com atum vão ficar a pensar que viveram na idade das trevas tempo demais.

Também podes gostar

Leave a Comment