Batatas Hasselback

by O Comilão

Começa-se por lavar bat……o quê? Falta a introdução? Folgo em saber que temos leitores atentos. Então, a receita que vos trago hoje é muito saudável, se considerarmos que a manteiga é muito nutritiva e boa para os nossos corpos.

Podemos, no entanto, fazer estas batatas de centenas de maneiras. A receita original, inventada há uns anos por um moço na Suécia, leva pão ralado e amêndoas em cima, mas pode-se fazer sem isso porque ele não se chateia. Em vez da manteiga, pode-se usar azeite, pode-se juntar queijo como cheddar, por exemplo, ou ervas aromáticas como a salva, que é especialmente boa com batatas. Aqui fica uma versão possível.

  • Pré-aquecer o forno a 220º;
  • Começa-se por lavar batatas pequenas/médias;
  • Coloca-se duas colheres de pau pousadas numa tábua, a formar um carril e põe-se a batata em cima; acabei de escrever uma das frases mais estranhas que se pode ler numa receita…
  • Corta-se a batata em fatias finas, sem chegar ao fundo (daí a ajuda das colheres de pau);
  • Tempera-se com sal e junta-se entre cada fatia um pouco de manteiga; por cima, deita-se umas folhas de alecrim e, opcionalmente, rega-se levemente com azeite;
  • Assar no forno entre 50 minutos a 1 hora.
Conselhos de Comilão
  1. Usem batatas com casca fina. É importante que ela fique crocante.
  2. A minha erva aromática preferida para batatas que vão ao forno é, quase sempre, salva. Desta vez usei alecrim porque é mais acessível e também é muito bom. (na verdade foi porque não tinha salva em casa).
  3. No final, pode-se deitar um pouco de natas ácidas ou iogurte, com aneto ou cebolinho picado, ou mesmo bacon ou queijo, por exemplo.

Estas batatas podem servir de acompanhamento a muitos pratos e ficam especialmente bem nos que têm molho, como um bom ragu (vejam a nossa receita aqui). Neste caso, foram as acompanhantes perfeitas para este salteado de vegetais que em breve terá receita no nosso blog. Também vivem bem sozinhas ou numa mesa de uma festa. É uma receita livre e tão versátil como a nossa imaginação.

Também podes gostar

Leave a Comment